Expandindo seus sonhos,
com o melhor de São Luís

Nossas Lojas

Maranhense testemunha tempestade Sandy nos EUA

Imirante.com, a jornalista maranhense Beatriz Deruiz, sobre o drama vivido nos Estados Unidos com a passagem da tempestade Sandy na noite de 29 de outubro. A maranhense, que mora na parte alta de Manhattan, localizada na cidade de Nova York, contou ao Imirante.com que a prefeitura local tem avisado à população, desde o domingo (28), de que não haveria transporte público, nem escolas funcionando. “Tivemos que sair cedo ontem de casa, para comprar mantimentos, como água e comida, pois hoje (29), nada iria funcionar (…). Há policiais em todos os lugares de Manhattan, alertando as pessoas para não saírem de suas casas”, contou Beatriz Deruiz. A jornalista, que mora com o namorado em Manhattan, em frente ao East River, conta que o nível do rio só está aumentando e são grandes as possibilidades de ficarem sem energia nas próximas horas. Apesar de não estar em uma área considerada de risco, Beatriz Deuriz afirma que o medo instaurado no país, com a tempestade, a fez sentir medo também. “No início eu não estava com medo, mas depois que vi que a tempestade ainda não chegou e isso que está acontecendo é só o início, sim, fiquei com medo!”, contou. “Hoje mesmo uma amiga minha me perguntou se eu tinha comprado vela, para caso eu ficasse sem luz. Se eu havia comprado fita para passar na janela, para não estraçalhar. Então, isso tudo acaba me deixando em alerta e com um pouco de medo”, acrescentou a jornalista. Segundo Beatriz Deruiz, o governo local tem insistido, pela televisão, por exemplo, para que as pessoas fora da área de risco, como a jornalista, comprem mantimentos e não saiam de casa. Em relação às pessoas dentro da área de risco, a precaução foi maior. “O Governo deu opções para essas pessoas se abrigarem em escolas e que lá estariam distribuindo comida. E quem tivesse animais de estimação, que era para levá-los também”, disse Beatriz Deuriz. Ainda segundo ela, pessoas nesta situação estão sendo obrigadas a evacuar. “Quem não faz, a prefeitura cortou a energia para obrigar essas pessoas a saírem e procurar abrigo” informou a jornalista. Tais medidas do governo local, em manter as pessoas em locais protegidos, dão-se, também, pela interdição dos aeroportos, por conta da tempestade.   Tempestade Sandy A tempestade Sandy tocou o solo na costa de Nova Jersey com ventos sustentados de 130 km/h, às 20h04 locais (22h04 no horário de Brasília), a 10 km a sudeste de Atlantic City. A Tempestade Sandy já foi classificada como um “ciclone pós-tropical”, com ventos com a força de um furação. A tempestade já matou 66 pessoas em sua passagem pelo Caribe, na semana passada. Segundo a imprensa americana, pelo menos 2,2 milhões de pessoas em 11 Estados do país, além do Distrito de Colúmbia, já estariam sem luz devido à tormenta. A distribuidora de energia National Grid informou que até 60 milhões de americanos podem ficar às escuras nas próximas horas.   Morte Um homem de 30 anos morreu em Nova York após a chegada da tempestade Sandy, de acordo com o Corpo de Bombeiros. A vítima foi atingida após uma árvore cair em cima de sua casa, no bairro do Queens.   Voos As companhias aéreas que operam entre cidades brasileiras e a Costa Leste dos Estados Unidos confirmaram que pelo menos cinco voos programados para a terça-feira (30) estão cancelados. A medida foi tomada porque o furacão Sandy deve chegar à Costa Leste dos EUA. Fonte: imirante.com]]>

São Luís Shopping
Todos os direitos reservados. © 2020.